Bezerras e novilhas: a importância de acompanhar o crescimento

Acompanhar o crescimento da bezerra e novilhas é indispensável para ter no futuro vacas leiteiras saudáveis, que produzam mais leite em suas lactações.

Entre os maiores custos de uma propriedade o de crescimento de bezerras e novilhas leiteiras geralmente está em terceira posição, ficando atrás dos custos com alimentação e mão de obra.

Buscar formas de aumentar a produtividade do rebanho é uma atitude que impacta diretamente na lucratividade. Principalmente porque o período entre o nascimento e o primeiro parto é longo e representa grandes custos para a propriedade. Além disso, o manejo nesse período tem grande influência sobre a produção desse animal na vida adulta. Uma maior produção representa uma maior amortização dos investimentos feitos no período de criação.

Bezerras leiteiras: cuidados pré e pós parição

Os cuidados com a cria devem começar ainda na fase gestacional da vaca. Elementos como alimentação rica em energias e proteínas contidos nas formulações das rações ou suplementares vitamínicos, são essenciais no sentido de apoiarem a manutenção da vaca leiteira e o bom desenvolvimento do feto.

Pós parição, a primeira semana de vida da bezerra é a fase mais crítica, sendo que 50% da taxa de mortalidade ocorrem nesse período. Justamente porque a bezerra ainda não têm resistência contra agentes patogênicos comuns encontrados no ambiente.

Sendo assim, o fornecimento de colostro é indispensável, pois é através dele que a bezerra recebe os anticorpos necessários para proteção nessa primeira fase de vida.

Para que o fornecimento de colostro apresente o resultado esperado, é preciso ter atenção ao tempo pós parto em que ele é fornecido e também a quantidade disponibilizada.

Ocorre uma brusca queda na absorção de imunoglobulinas (anticorpos) 24 horas após o parto, por este motivo o colostro deve ser fornecido até 12 a 18 horas pós parto, garantido assim uma adequada absorção.

Além da importância na imunidade, o colostro possui alto valor nutritivo, contribui para o equilíbrio no trato digestivo e atua na expulsão das primeiras fezes pegajosas vindas do líquido amniótico fetal.

Outra boa prática no manejo pós nascimento é realizar a cura do umbigo, que pode ser realizada mergulhando o cordão umbilical em solução de iodo. Com isso a vulnerabilidade às doenças, e consequentemente a mortalidade, reduz.

A importância do acompanhamento do crescimento

É comum em algumas propriedades leiteiras o negligenciamento do manejo de bezerras e novilhas pelo fato de não trazer um retorno imediato ou até perceptível. No entanto o não acompanhamento pode acabar acarretando o aumento da idade do primeiro parto e consequentemente uma menor produção leiteira durante a vida produtiva.

Uma forma de monitorar os resultados obtidos com alimentação das bezerras e novilhas leiteiras é acompanhar o ganho de peso dos animais. A medição com fita métrica é muito utilizada por ser uma opção prática para o produtor mensurar o peso dos animais.

Com base nos resultados é possível, se necessário, remanejar a dieta e manejo dos animais para que sigam o mais próximo possível a linha de crescimento esperada para cada raça. 

 

O escore corporal é uma análise adicional que pode ser utilizada para avaliar a condição de peso dos animais. Consiste em verificar visualmente o tecido adiposo e muscular e a partir dessa análise classificar o animal com escore de 1 a 5, onde 1 é extremamente magro e 5 extremamente gordo.

O aspecto negativo em utilizar desse recurso é que o critério é totalmente subjetivo, não sendo então ideal manter este como único parâmetro adotado.

Relação peso x produtividade das novilhas leiteiras

Controlar as taxas de crescimento na pré-puberdade das novilhas é uma medida preventiva inteligente. Pois, o alto ganho de peso do animal poderá comprometer futuramente a produção leiteira.

É importante equacionar a relação entre proteína e energia a serem consumidas pelas novilhas leiteiras de modo que a novilha chegue ao primeiro parto com 80-85% do peso corporal adulto e que o escore corporal não esteja acima de 3,5-3,75.

 

Isso é recomendável porque esse escore permite o armazenamento de quantidade de gordura corporal moderada que será utilizada na lactação quando o balanço energético do animal estiver negativo.

Enfim, é válido dizer que a produção de leite está diretamente relacionada ao peso do animal ao parto. Por isso, manter um bom programa de crescimento de bezerras e novilhas leiteiras significa maior rentabilidade.

Estratégia: redução de custos das bezerras e novilhas leiteiras

A vantagem em se controlar a taxa de crescimento da novilha leiteira é que essa estratégia gera redução dos custos finais da criação do animal. Isso ocorre porque o manejo alimentar do animal influencia no desenvolvimento da maturidade sexual e consequentemente, idade ao primeiro parto.

Se o programa alimentar e de manejo forem mal estabelecidos, inevitavelmente haverá atraso no primeiro parto e, então, aumentará o custo final da novilha leiteira.

Para otimizar a produção e obter maior lucratividade é essencial que se faça um planejamento e acompanhamento adequado do crescimento de bezerras e novilhas. Assim será possível reduzir a idade ao primeiro parto e consequentemente aumentar a produção e rentabilidade, abatendo os custos envoltos na fase de crescimento desses animais.

Leias também: De bezerras e novilhas a vacas de alta produção.

Assegurar o bem-estar e a sanidade dos animais é de grande importância.

Lembre-se “a bezerra de hoje é a vaca de amanhã”. 

Quer saber mais? Fale com a gente pelo whatsapp!

Você Também pode gostar