Inseminação de bovinos: principais técnicas e cuidados

Quando o período de acasalamento do rebanho se aproxima, a primeira decisão a ser tomada é definir qual estratégia será utilizada na reprodução dos animais. Além da monta natural, o pecuarista tem à disposição diversas maneiras de realizar a inseminação de bovinos na sua fazenda.

Quando o produtor pretende melhorar a eficiência das vacas, a reprodução é mais importante ainda. Entre as diversas formas de fazer a inseminação de bovinos, estão a monta natural, inseminação artificial, inseminação artificial em tempo fixo e transferência de embrião em tempo fixo.

Inseminação de bovinos

Bovino leiteiro e inseminação de monta.

A inseminação de monta, também conhecida como monta natural, ocorre quando a reprodução é feita sem a interferência do homem. Assim, é o touro que detecta que a vaca está no cio. A possibilidade de melhor aproveitamento do cio e o baixo custo de mão de obra são as vantagens desse tipo de inseminação de bovinos.

Como há pouco controle do momento exato que a cópula ocorreu, é muito difícil prever a data do parto e secagem da vaca. O produtor precisa estar atento também se houver altas taxas de repetição de cio, principalmente por fatores como falta de libido, dificuldade de salto, infecções e doenças.

Inseminação artificial de bovino leiteiro.

Outra técnica muito conhecida é a inseminação artificial. Ela consiste na deposição mecânica do sêmen no aparelho reprodutor da fêmea, por meio de instrumentos.

O inseminador deposita apenas o sêmen na fêmea. A fecundação e o desenvolvimento do bezerro ocorrem de maneira natural, sem a interferência humana. A inseminação artificial é um método barato e que promove um retorno econômico significativo devido ao manejo genético que ela promove.

Já a inseminação artificial em tempo fixo é a evolução do método tradicional de inseminação de bovinos. Diferente da inseminação artificial, essa técnica não necessita da observação do cio, reduzindo os custos do processo.

O trabalho concentra-se em dias pré-determinados, dando a possibilidade de o produtor fazer um planejamento dos partos em épocas mais favoráveis, uniformizando a idade das crias. A principal vantagem da inseminação artificial em tempo fixo é a capacidade de evitar falhas na detecção do cio.

Como a forma que essa inseminação de bovinos é feita é semelhante a inseminação artificial, os cuidados são os mesmos: é necessário uma instalação especial para manter o procedimento seguro e uma pessoa com formação, prática e habilidade.

Outra forma avançada de reprodução é a Transferência de Embrião em Tempo Fixo. Muito utilizada em animais de alto mérito genético, o processo consiste em usar uma vaca com genética superior como doadora após esta ser submetida a tratamento hormonal para produzir vários óvulos.

Após essa “superovulação”, a vaca é inseminada. Depois de sete dias, é feita uma lavagem uterina para recuperar os embriões, que são transferidos para outras vacas. Assim, uma vaca superior geneticamente passa a gerar cerca de 10 a 20 bezerros, sem que a vaca doadora passe por gestação ou parto.

Para facilitar o controle dos dados das inseminações experimente utilizar um o Sistema Mais Leite.

O que é necessário para realizar uma inseminação artificial de bovinos?

Todo tipo de inseminação de bovinos exige cuidados. Quando falamos da inseminação artificial, há alguns passos que devem ser seguidos para o produtor aplicar esse método na propriedade.

A inseminação artificial é a tecnologia de inseminação de bovinos mais simples e rápida para promover o melhoramento genético do rebanho. A técnica auxilia no controle de doenças, prevenção de acidentes, controle zootécnico e padronização do rebanho.

É importante que o inseminador esteja capacitado para realizar os procedimentos. O profissional deve ser responsável, organizado e estar atento ao bem-estar dos animais, com boas práticas de higiene durante todo o processo. Só assim o animal continuará saudável e os resultados estarão dentro do esperado.

As instalações para realizar essa inseminação de bovinos devem ter tronco ou brete de contenção que garanta a segurança do inseminador e do animal. Sua função é proteger o processo da chuva, sendo realizado na sombra. Próximo ao local, é necessário que haja um cômodo para armazenamento de equipamentos e fácil acesso a água.

Por fim, para realizar a inseminação artificial na propriedade, o produtor precisa adotar um manejo adequado nas áreas de reprodução, nutrição, sanidade, conforto animal e gerenciamento do rebanho.

É necessário também conhecer os materiais que serão utilizados na inseminação artificial, além de utilizar um sistema adequado para detectar o cio das vacas. Após isso, o produtor pode dar andamento às etapas de inseminação de bovinos.

  • Passo 1: Identifique as vacas que estão aptas para inseminação.

A fêmea não gestante apresenta cio, em média, a cada 21 dias, sendo que esse intervalo pode variar entre 17 e 24 dias. Assim, é necessário identificar quando este momento chega.

Algumas das observações que podem ser feitas são:

  • A fêmea monta em outras fêmeas;
  • Mugido frequente;
  • Afastamento do rebanho;
  • Vulva inchada e com presença de muco.
  • Passo 2: Separe os animais que serão inseminados para verificar os dados

Examine a ficha da vaca e verifique a data da última parição, do último cio e número de vezes que ela já foi inseminada.

inseminação de bovino

Na imagem acima você visualizou como é feito o cadastro e o acompanhameto das informações de Controle Reprodutivo no Sistema Mais Leite.

 

Abaxo continue com os passos ou etapas de inseminação de bovinos.

  • Passo 3: Separe o material que será utilizado.
  • Passo 4: Limpeza do animal.

Retire as fezes do reto do animal, higienize a vulva da vaca com água e sabão neutro e seque com papel toalha. Atente-se para o muco neste momento: ele deve ser transparente e cristalino.

  • Passo 5: Retire o sêmen que será utilizado do botijão.

O caneco contendo o sêmen não deve permanecer por mais do que 10 segundos perto da boca do botijão. Caso isso ocorra, a qualidade do sêmen estará prejudicada.

  • Passo 6: Descongele o sêmen na água

Coloque a paleta em temperatura entre 35ºC e 37°C por 30 segundos. Seque e corte a palheta para depois montar o aplicador.

  • Passo 7: Com aplicador específico, passe na cervix (porção inferior e estreita do útero), depositando o sêmen dentro do aparelho da vaca.
  • Passo 8: Retire o aplicador

Faça isso lentamente enquanto retira também o braço do reto. Massageie levemente o clitóris do animal.

Inseminação de bovinos

Qual o preço do sêmen para inseminação de bovinos?

Segundo a Associação Brasileira de Inseminação Artificial (Asbia), em entrevista para o Globo Rural, a venda de sêmen cresceu em 2020. Ao comparar com o primeiro trimestre de 2019, houve um crescimento de 23% nas vendas.

A dose utilizada para realizar a inseminação de bovinos tem preço variável de acordo com o padrão genético do doador. Os sêmens de baixo custo tem valor, em média, de R$30,00. Já aqueles que são provenientes de animais com um padrão genético um pouco melhor variam entre R$50,00 e R$70,00. Por fim, sêmens de alto padrão custam, no mínimo, R$130,00. 

Manejo da inseminação x Manejo das informações

O fato é que, para ter melhores resultados, é preciso buscar novas tecnologias. O produtor precisa ter acesso e saber interpretar as informações do seu rebanho para que a inseminação de bovinos seja eficaz e rentável.

Como já foi dito, dados como data de cio, quantas inseminações já foram feitas pós parto e o período voluntário de espera são essenciais para saber se a vaca está pronta para ser inseminada. Da mesma forma a taxa de serviço, concepção e prenhez são indicadores essenciais a serem analisados para saber se o processo de inseminação está realmente eficiente. Além disso, o prazo para a inseminação não pode ser perdido, principalmente em inseminações artificiais de tempo fixo.

leite de vaca

Para você manter todas as Tarefas em dia  preparamos  um Artigo Especial. Acesse clicando no título abaixo.

Produza mais leite como um CALENDÁRIO DE ATIVIDADES. 

Acompanhamento na inseminação de bovinos

O acompanhamento é essencial para ter sucesso na inseminação de bovinos do seu rebanho. Pensando nisso, o Sistema Mais Leite oferece funções como “Confirmação de Prenhez”, Previsão de inseminações pós parto e alertas do fim do período voluntário de espera. 

Além disso, o sistema alerta para que o produtor tenha controle das tarefas do manejo reprodutivo buscando a otimização do intervalo entre partos.

linha de ordenha

Uso de celular na inseminação de bovinos

Veja na imagem acima como Alertas ou Notificações aparecem no celular. Muuunique, a Assitente Virtual do Sistema Mais Leite informa  na tela as principais atividades a serem realizadas no dia.  

Exemplos:

  • Inseminar vaca X;
  • Verificar Cio em vaca Y;
  • Comprar sêmem Touro W;
  • Entre outros…

Usar um Sistema de gestão leiteira integrado com o celular trás mais flexibilidade, já que o produtor pode acessá-lo até sem internet.

Assim é possível realizar uma procedimento de inseminação, fazer as marcações no aplicativo,  e ele irá atualizar quando estiver em rede.

Quer saber mais? Fale com a gente!

Se preferir clique no botão e teste grátis agora.

Você Também pode gostar