Produção Leiteira: Compost Barn, Free-stall ou Pastagem?

A produção leiteira é uma das atividades de pecuária mais antigas do Brasil. Alguns datam seu início junto à chegada dos portugueses ao país. De lá para cá, além do manejo em Pastagem, outros sistemas como o Free-stall e o Compost Barn também ajudaram a otimizar este setor.

Seja em pequenas, médias ou grandes propriedades, a produção leiteira sempre foi um dos pilares mais importantes da pecuária no Brasil. Em seu desenvolvimento esta atividade tem ganhado ainda mais força com a chegada das tecnologias ao campo.

Esses avanços envolvem um melhor aproveitamento dos dados e informações de gestão da propriedade, com o uso de sistemas e aplicativos, além da otimização dos espaços de produção, melhorias na nutrição e manejo dos animais.

produção leiteira

Qual o melhor sistema de produção leiteira?

Esta é uma pergunta que ainda não pode ser respondida em uma simples afirmação, pois existem alguns fatores que influenciam na resposta como:  genética dos animais, relevo, condições climáticas, e até mesmo a paixão dos produtores. Sim, se você colocar três produtores para debater – Compost Barn, Freestall e Pastagem – é provável não haver um consenso sobre o melhor sistema de produção leiteira.

Neste sentido, o que podemos dizer é que o melhor sistema é aquele que melhor se adapta a cada realidade, afinal, pequenas, médias e grandes propriedades, em diferentes regiões do país, possuem características que podem privilegiar um ou outro sistema.

Um exemplo disso é ter uma produção leiteira em uma região de relevo acidentado com pouca área de pastagem. Neste caso, Compost Barn ou Free Stall podem ser as melhores opções. Do contrário, um relevo plano, com uma ampla área de pastagem pode fazer de sistemas de confinamento algo não muito atrativo, principalmente pelo valor de investimento inicial.

Quando mudar o sistema de produção leiteira?

A chegada da tecnologia ao campo com sistemas e aplicativos de gestão leiteira permitiu aos produtores o registro das informações e a análise dos dados em tempo real. Em momentos de tomadas de decisões, como na mudança no sistema de produção, a gestão dos dados tem sido fundamental.

Para ilustrar isso veja o vídeo:



Acessar Mais Informações

Como podemos observar no vídeo, o produtor trabalha focado nos dados de sua produção leiteira controlando uma Agenda de Atividades.

Analisando os números e a geografia do local, ele percebeu que o sistema de pastagem não estava evoluindo em resultados conforme as metas de produção.

No modo pastagem, as vacas tinham que passar por locais acidentados (subidas, descidas, sangas, barro) para acessar as áreas de alimentação e ordenha. Frequentemente neste trajeto ficavam expostas a maior esforço físico, lesões e contaminações. Além de haver grande “perda de tempo” para chamar os animais e deslocar os lotes até a ordenha.

O Compost Barn neste caso trouxe melhores resultados para a propriedade oferecendo maior conforto aos animais.

Entenda mais sobre cada sistema de produção leiteira

Se você já está na atividade de produção leiteira ou pretende iniciar neste ramo, certamente precisa estar sempre atualizado para permanecer no mercado. Pensando nisso, reunimos informações sobre três técnicas de produção de leite, Compost Barn,  Free-stall e Pastagem para você entender qual destes sistemas é o mais adequado para sua realidade.

produção leiteira

Produção leiteira em Compost Barn

Esse sistema de confinamento na produção leiteira foi desenvolvido nos EUA na década de 1980. É um celeiro de compostagem, ou seja, uma grande área coberta de descanso para os animais.

O Compost Barn consiste em criar um estábulo onde os animais ficam soltos e podem se movimentar no galpão com mais liberdade e espaço para se deitarem naturalmente. O ambiente é bem ventilado e aberto internamente, ou seja, sem repartições. Além disso, é comum cobrir o chão com serragem, maravalha, casca de café ou feno.

O bom funcionamento do sistema depende da fermentação aeróbia da matéria orgânica. Para isso, é necessário misturar uma fonte de carbono (serragem, maravalha de madeira, casca de café) com material orgânico rico em nitrogênio (fezes/urina do animal).

Essa mistura deve ser feita através do revolvimento diário da cama, com o uso de um revolvedor ou com uma enxada rotativa acoplada a um trator, pelo menos duas vezes ao dia.

O revolvimento da cama, juntamente à ventilação, proporciona condições para infiltração de ar e manutenção dos níveis adequados de umidade. Tais fatores garantem a rápida degradação da matéria orgânica e proporcionam uma superfície seca e confortável para que o rebanho possa se deitar e se locomover bem.

Ainda considerado uma novidade no Brasil, o Compost Barn tem como proposta melhorar o conforto e bem-estar do rebanho como forma de influenciar positivamente a produção leiteira.

app mais leite

Acessar Mais Informações

Produção leiteira em Free-stall

Sistema um pouco mais antigo, o Free-stall data da década de 1950, também nos Estados Unidos. Este confinamento é bem simples e se baseia em um galpão coberto e com baias metálicas ou de madeira que dividem os animais.

No Free-stall, o rebanho fica solto dentro desta área cercada, indo para as baias no momento de descanso. As baias são individuais e forradas com cama de areia ou borracha triturada para comportá-los e garantir seu conforto.

Mesmo que diversos tipos de materiais orgânicos e até mesmo colchões possam ser utilizados como cama, a areia ainda é a mais utilizada, já que é um produto econômico, de fácil mecanização, retém pouca água, é confortável para o animal, limita o crescimento de bactérias, entre outros benefícios.

Além disso, a areia auxilia no aumento da produção leiteira, já que a vaca consegue descansar melhor e por mais tempo, tendo menos estresse e lesão de casco.

Nas baias, o rebanho permanece lado a lado. Até por isso, elas precisam ser compridas o suficiente para que, ao se deitar, os animais estejam confinados no seu próprio espaço.

A outra parte da instalação é para a alimentação e exercícios do rebanho. Por fim, existe o espaço para a ordenha.

O  free-stall foi um dos primeiros sistemas de confinamento em galpões implantado no brasil, por isso é bem conhecido e defendido por muitos produtores, como uma ótima técnica para criação de gado de leite.

Produção leiteira em Pastagem

O sistema de pastagem é um velho conhecido da bovinocultura de leite. De simples implementação e baixo custo de mão de obra qualificada, depende do ambiente e do potencial produtivo do rebanho, já que não há necessidade de mecanização.

É importante ter uma boa área disponível. Além disso, o criador deve se preocupar com a disponibilidade e qualidade do pasto e ainda observar o clima do ambiente, que interfere na oferta de forragem.

A base da alimentação do rebanho é feita com pasto, então é preciso observar o teor da matéria seca, já que, quando está baixo, tende a limitar o consumo do alimento.

O espaço deve ser cercado e necessita de investimento em roçagem, semeadura e recursos que auxiliem em todas as etapas da produção. Como o custo de produção é baixo, o sistema é mais indicado para um rebanho de menor produção leiteira

Leia Mais:

Manejo de Pastagens Para Gado Leiteiro – Embrapa

produção leiteira

Qual sistema é tendência na produção leiteira?

Entre Pastagem, Free Stall e Compost Barn, podemos dizer que este último pode ser considerado uma tendência, sendo o mais recente a ser adotado no Brasil e vem se popularizando, ganhado a simpatia de muitos produtores, especialmente dos que apostam em sistemas de confinamento.

Recentemente a EMBRAPA Gado e Leite lançou um Compost Barn chamado “Vacas e Pessoas Felizes”, tendo como o objetivo o aprofundamento de informações sobre este método.

Segundo o chefe-geral da Embrapa Gado de Leite, Paulo Martins, “o compost barn ainda é utilizado no Brasil na base da tentativa e erro, sem um respaldo efetivo da pesquisa agropecuária. Com o sistema adotado na Embrapa, iniciaremos trabalhos para responder questões ligadas ao seu manejo, como qualidade do leite, ambiência e saúde animal”, diz.

Esta é uma técnica que está se popularizando no Brasil, ou seja, tornando-se uma tendência. Não significa que esta técnica de manejo leiteiro seja a melhor para sua propriedade. A identificação da melhor técnica deve ser feita considerando os indicadores zootécnicos, financeiros e ambientais de sua propriedade. 

Uso de tecnologia na Produção Leiteira

Sempre por dentro das tendências de sistema de bovinocultura de leite, o Sistema Mais Leite oferece informações e todo suporte necessário para uma gestão eficiente e inteligente dos indicadores zootécnicos e financeiros, tendo como resultado o aumento da produção leiteira.


app mais leite


Acessar Depoimentos

Com o sistema, o produtor ainda pode registrar atividades do rebanho e receber alertas diários das atividades importantes, como manejos. O sistema Mais Leite possibilita o gerenciamento de vários indicadores, como eficiência reprodutiva do rebanho, inseminações, partos, manejos, entre outros. De forma completa, o sistema ainda permite a gestão financeira de todas as atividades desempenhadas na propriedade.

Outra característica importante do Mais Leite é a flexibilidade, já que o produtor pode acessá-lo de qualquer lugar pelo navegador do computador ou do smartphone. Caso esteja sem internet, ou com uma conexão ruim, o aplicativo oferece uma alternativa com o lançamentos de informações Off Line.

Quer saber mais? Fale com a gente pelo whatsapp!

Você Também pode gostar